OS 6 CUIDADOS MAIS IMPORTANTES PARA UMA CIRURGIA SEGURA

1) Como fazer uma cirurgia segura e acessível para meu orçamento?

Há muitos anos que a Cirurgia Plástica se tornou acessível e deixou de ser um privilégio de poucos. O primeiro ponto que você precisa ficar atento é que o gasto engloba:

  1. Hospital (estrutura e internação)
  2. Equipe médica (experiência e competência)
  3. Prótese (se for o caso)

Ou seja, existem os honorários do cirurgião plástico e também da sua equipe, ou seja, outros profissionais envolvidos no procedimento e que irão ajudá-lo.

Ao comparar preços, peça sempre o valor total e em quantas vezes a clínica parcela. Assim você irá comparar laranjas com laranjas.

Na nossa clínica temos a certeza de oferecer uma excelente relação custo X benefício.

Como sei disto? Porque muitos pacientes me procuram depois de terem feito 2 ou 3 consultas em outros lugares e acabam se decidindo por operar comigo e minha equipe.

2) Dicas na hora de solicitar um orçamento para cirurgia plástica

  1. Sempre pergunte sobre tempo de formado. A experiência é um diferencial.
  2. Se é credenciado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
  3. Se a cirurgia é feita em hospital ou na clínica (no hospital é muito mais seguro)
  4. Em quantas vezes é possível parcelar a sua cirurgia
  5. Ligue para alguns consultórios e anote as respostas, isto vai te ajudar a decidir sobre onde fazer a consulta inicial.
  6. Importante: ao ligar para marcar consulta, já pergunte se há depoimentos na Internet que atestem o bom trabalho do médico.

Veja no tópico abaixo o que perguntar no dia da consulta.

3) Como encontrar um cirurgião de confiança?

O primeiro passo é saber se o seu cirurgião é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Clique aqui para fazer isto: www.cirurgiaplastica.org.br .

4) Procure por depoimentos

O segundo passo é procurar depoimentos (depoimentos espontâneos no Facebook, Instagram, grupos de Cirurgia Plástica). Isto é ainda mais válido se estiver marcando uma consulta sem ter tido nenhuma indicação.

5) Faça uma consulta!

Você pode ligar para dez consultórios, falar com dez secretárias, ver depoimentos, porém não há nada tão seguro quanto ir na consulta, perguntar, ouvir e conhecer aquele que, possivelmente, vai realizar a cirurgia.

Depois que começar a consulta, seja direta ao esclarecer o que você quer e espera do procedimento. Escute atentamente as respostas do médico e faça outras perguntas não sobre o seu caso em si, mas sobre o médico: formação, credenciamento e experiência com a cirurgia que quer fazer.

Peça para ver fotos e veja se há casos parecidos com o seu, para ter uma noção de como ficará depois da cirurgia.

Ao final, não tome decisões precipitadas, não diga que já decidiu operar. Vá para casa e pense com calma, só dizendo que fará contato com a secretária depois. Afinal esta é uma decisão muito séria.

6) Como extrair o máximo de informações na minha 1ª consulta? E o que avaliar?

Chegou o dia da consulta, chegue antes na clínica escolhida e avalie o local:

  1. Qual o nível de profissionalismo dos funcionários
  2. Qual a reação de outros pacientes que estão entrando ou saindo
  3. Se possível, converse com pessoas já operadas que estejam na sala de espera.
  4. Pergunte se há vídeos ou material de leitura específico para a cirurgia que quer fazer.

Pergunte também sobre o DEPOIS da cirurgia:

  1. Quem fará os curativos?
  2. Estes retornos são cobrados?
  3. Pergunte sobre os meios de você tirar dúvidas após a cirurgia, como por exemplo Orientações impressas, telefone celular do consultório
  4. Em que dias você pode ser atendida após o procedimento.

Dica: em tempos de Whatsapp, pergunte se o cirurgião usa e se você pode contatá-lo a qualquer dia ou hora ou se é somente vindo em consulta mesmo.

Quando a consulta estiver acabando, avalie se foram pedidos todos os exames necessários para fazer uma cirurgia plástica mais segura. Os exames mais comuns são o hemograma, coagulograma, raio-x de tórax e eletrocardiograma, porém isto varia conforme a idade do paciente, a presença de doenças e o tipo de cirurgia.

7) Importância da equipe médica: que outros médicos vão me atender?

Você não está escolhendo só uma pessoa, mas sim uma equipe toda. Isto tem que ficar claro. Esta equipe é composta de cirurgião, anestesista, auxiliar do cirurgião e instrumentadora.

 Para seu check list sobre médico anestesista:

  1. Pergunte quem é (pode até perguntar o nome e o CRM),
  2. Veja se está acostumado com anestesia para cirurgia plástica,
  3. Pergunte quando tempo de formado tem e há quanto tempo trabalha com o cirurgião.
  4. Pergunte também sobre que tipo de anestesia ele (ou ela) costuma usar para a sua cirurgia
  5. Veja se você vai conhecer a pessoa antes de entrar no centro cirúrgico.
  6. Pergunte também se ela irá te ver no quarto depois que o procedimento acabar.

Também procure se informar sobre a formação e experiência das outras pessoas da equipe, como médico auxiliar e instrumentadora. Não tenha vergonha de saber exatamente quem são as pessoas que cuidarão de você.

No caso do Dr. Alexandre Charão, a equipe é formada por:

Anestesista responsável – Dra. Cristiane Leal, CRM 52.81271-4, que realiza anestesia somente para Cirurgia Plástica e  que permaneceu por vários anos como anestesista do Inst. Ivo Pitanguy. A cirurgiã que auxilia o Dr. Alexandre Charão é também altamente gabaritada: é a Dra. Esther Barrios, CRM 52.82490-9, que dá aulas no Instituto Ivo Pitanguy de Cirurgia Plástica.

8) Qual o hospital ideal para realizar uma cirurgia plástica?

Como você não está doente, recomendo um hospital calmo e pequeno, com enfermagem especializada em cirurgia plástica. Digo isto, pois existem cuidados específicos com a pele, com curativo e com a cinta. Ou seja, de nada adianta uma equipe que atende muito bem pessoas doentes (exemplo: infarto, pneumonia) se não souberem trocar uma curativo de Plástica.

O uso de hospital menores diminui a chance de infecção hospitalar por vários motivos: há menor entra e sai de pessoas nos corredores, o material usado não é misturado com o material utilizado em pessoas com infecção. Além disso o atendimento é mais rápido e mais especializado quando o hospital é menor.

Mas o que é obrigatório ter no hospital?

Desde 2006 que a Vigilância Sanitária exige um leito equipado com CTI (resolução 26-7 do Diário Oficial de 2006). Os hospitais oferecidos pelo Dr. Alexandre Charão seguem esta recomendação. É importante reforçar que a fiscalização é forte e que hospitais sem este leito de CTI são fechados. Exija isto.

Sobre o acesso ou distância do hospital, isto é irrelevante. Mesmo que seja longe da sua casa, será somente uma ida e uma volta para casa. Prefira hospitais bons do que hospitais próximos.

9) Pós operatório: o segredo da sua recuperação.

Um bom pós-operatório é fundamental para acelerar a recuperação, combater o edema e fazer os resultados e a cicatrização acontecerem de forma correta.

 Perguntas importantes para fazer sobre o pós operatório:

  1. Quando começa o pós-operatório?
  2. Quem vai me ver? O próprio médico?
  3. Tem que pagar algo nestas consultas de revisão?
  4. Preciso fazer drenagem?
  5. Quantas horas por dia tenho que usar a cinta?
  6. Por quanto tempo tenho que usar a cinta?
  7. O médico recomenda alguma profissional para o pós-operatório?

Meus diferenciais

Caso você decida fazer sua cirurgia com a nossa equipe é importante ressaltar que nosso espaço contém, além do consultório, uma clínica completa de pós-operatório e estética chamada Lifecare, o que facilita e muito a vida dos meus pacientes.

Como este é um tema que estudo e me dedico, com o passar dos anos, fui chamado para aulas e palestras e hoje sou professor de Pós-graduação justamente em Pós-operatório. Isso quer dizer que aqui você terá uma equipe de esteticistas e fisioterapeutas altamente qualificadas, supervisionadas por mim, disponíveis de segunda até sábado para ajudar na sua recuperação.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- - - - - - - - - - - - - - - - -

Interessado?